Pequenos negócios viram os principais empregadores do país

Segundo consultor, pequenos empresários reagem primeiro à crise; investir no setor do mercado pode ser uma das saídas para a economia

Via : Revista PEGN

Publicado: terça-feira, 30 janeiro, 2018 às 12:35
A pequena empresa surge, às vezes, sem tecnologia, sem condições de investimento e ela precisa de mão de obra, precisa de alguém que ajude a fazer o negócio crescer

Os pequenos negócios viraram os principais empregadores do país. Os dados mais recentes divulgados pelo IBGE mostram que as empresas que têm de um a cinco funcionários contam com pouco mais da metade dos trabalhadores do Brasil. Isso mostra que investir no setor do mercado pode ser uma das saídas para a economia.

Empresários como a Cristiane Fagundes já estão nesse caminho. Ela foi para São Paulo há cinco anos, trabalhou informalmente até este ano, vendendo artesanato, que aprendeu a fazer na Bahia, onde nasceu. Em julho deste ano, Cristiane virou MEI, microempreendedora individual.  Investiu R$ 9 mil e montou uma loja de decoração.

Gente como a Cristiane está movimentando o país. Em outubro, o faturamento dela foi de R$ 6 mil – 50% maior que o do mês anterior. São os pequenos que reagem primeiro à crise, avalia o professor de economia da Saint Paul, Carlos Honorato.

“Está na pequena empresa porque a pequena empresa é o primeiro local em que você precisa trazer pessoas para o trabalho. A pequena empresa surge, às vezes sem tecnologia, sem condições de investimento e ela precisa de mão de obra, precisa de alguém que ajude a fazer o negócio crescer.”

A saída também passa por educação.  Na crise, os funcionários com pouca qualificação são os que perdem o trabalho primeiro, e os últimos a recuperá-lo e a pequena empresa tem papel fundamental para reverter esse processo. É o que a Cristiane está fazendo agora com a vendedora Thais Alves da Silva: dando treinamento.

“O próprio ambiente de mercado, de negócios, empurra a pressão para se qualificar”, completa Honorato.

A Cristiane e a Thais enxergam base para essa parceria continuar. “Eu quero futuramente fazer curso. Ela me deu uma chance de evoluir com ela, entao é isso que eu quero, crescer com ela”, fala Thais.

“Você tem que mostrar que quer trabalhar. Foi o que falei pra ela. Eu estou querendo crescer, se eu crescer vou conseguir ter você. Para isso pretendo estar contratando mais outra pra me ajudar também e pensar em crescer. Tenho certeza que o melhor virá”, avisa Cristiane.