6 opções de negócio próprio que não precisam de grande investimento!

Existem diversas formas de rentabilizar sem despender de um grande montante ou empréstimo comprometedor

Via : Saia do Lugar

Publicado: quarta-feira, 7 junho, 2017 às 13:46
Opções de negócios que não precisam de muito investimento
Uma estratégia inteligente é criar uma assinatura mensal de consultoria

Sempre quis ter uma empresa, mas nunca teve capital suficiente? Então, confira o post que preparamos para você sobre opções de negócio!

Se você sempre sonhou em ter um negócio próprio, mas achava isso uma realização distante devido à falta de capital para investir, chegou ao local certo.

Existem diversas formas de rentabilizar sem precisar despender de um grande montante ou, ainda, recorrer à um empréstimo muito comprometedor.

O fato é que existem diversas formas de começar um negócio sem precisar investir muito dinheiro e algumas delas, quando bem trabalhadas, podem lhe dar um retorno escalável.

Neste post, trouxemos 6 opções de negócio para quem deseja criar sua própria empresa. É válido lembrar que, toda estratégia para rentabilizar requer que você economize dinheiro e comece a gastá-lo de forma consciente. Acompanhe agora!

1. Dê consultorias

Se você é especialista em algum assunto e tem experiência em sua profissão, pode oferecer seu serviço como consultor.

A grande estratégia para conseguir muitos clientes é gerar muita autoridade em torno do seu nome para atrair pessoas interessadas em seu serviço.

A princípio você pode iniciar sua estratégia de divulgação através do boca a boca, mas o método mais interessante de promover seu nome é através da internet. Um bom site e um blog que aborde o assunto no qual você irá lidar, é o primeiro passo.

Outra estratégia inteligente é criar uma assinatura mensal de consultoria, assim você fideliza clientes e garante receita mensal.

Por exemplo: se você trabalha com coaching, pode vender pacotes com 4 consultorias mensais e fazer um preço promocional para quem fechar um combo de 6 meses. Essa é só uma ideia dentre os diversos nichos que podem ser explorados.

2. Produza e venda

Se você tem talento para produzir algum tipo de mercadoria ou alimento, considere essa opção.

Apesar de necessitar de investimento inicial, o custo de produção será abatido no valor final do produto. Pense, principalmente, em produtos que sejam necessários para um público e que possam gerar reincidência de compra.

Quer um exemplo inteligente? Assinaturas de refeições saudáveis! Uma pessoa que se dedica a um estilo de vida saudável, alimentará constantemente daquele produto que está de acordo com sua dieta.

O mesmo serve para cosméticos de uso constante ou um clube de assinaturas de comidas para cachorro. São produtos que causam certa dependência do consumidor, principalmente se o serviço for bom e gerar comodidade para ele.

No caso de bens duráveis é possível oferecer seu material para outras lojas revenderem, trabalhar com vendas diretas ou ainda, expor seus produtos em vitrines online como a plataforma Elo7.

Nesse último caso, você terá oportunidade de vender para todo o país e será responsável pela logística de entrega do produto.

O mesmo vale para produção de alimentos como doces, bolos e salgados para encomenda. Existem muitas opções e cabe a você analisar qual as melhores opções de negócio para começar.

3. Venda serviços

De acordo com sua experiência é possível vender seus serviços ao invés de produtos. Similar à consultoria, vender serviços também é uma maneira de rentabilizar de acordo com suas habilidades.

Existem diversos sites brasileiros como o VintePila, Freelancer, GetNinjas e os internacionais Fiverr e Craigslist em que é possível se candidatar para projetos como freelancer.

Designers, redatores, programadores, videomakers e uma extensa gama de profissionais, trabalham exclusivamente através desses sites.

Uma estratégia para quem deseja trabalhar como freelancer é construir boa reputação nesses portais e conquistar a confiança dos clientes, que, se gostarem do seu serviço, requisitará seu trabalho novamente para outros projetos.

4. Atue com redes sociais

As redes sociais são responsáveis por impulsionar muitas pessoas como novos influenciadores digitais.

Através do Instagram, Facebook e YouTube, é possível atrair muitos seguidores e gerar engajamento suficiente, a ponto de chamar a atenção das marcas publicitárias.

O Instagram, por exemplo, é um canal que tem ganhado muita força desde que foi lançado. Através dele, é possível explorar diversos nichos, não somente o de beleza e fitness, como muitos imaginam. Os nichos de casamento, maternidade, culinária e viagens são bons exemplos de mercado para atuar.

Uma maneira de definir um nicho de mercado é descobrir demandas de um público específico e associar algo que você tenha interesse em falar a respeito, com base em seus talentos.

Pense em seus hobbies e assuntos sobre os quais mais gosta de conversar. Falar sobre temas que você já gosta naturalmente é um motivo a mais para trabalhar com algo que ama.

Uma vez definido seu tema, entenda sua audiência e identifique o perfil de sua persona. Assim, você saberá exatamente quais as características em comum do seu público e quais assuntos poderá abordar.

Seja consistente em suas publicações. Esse é um trabalho de longo prazo, que demanda tempo para começar a gerar visibilidade, e a periodicidade de suas postagens será um fator importante para conquistar a confiança de sua audiência.

Aprenda também a fazer parcerias com outros produtores de conteúdo. Quando você une a outros creators — como Youtubers, Instagrammers e blogueiros — você gera mais oportunidade para uma nova audiência te conhecer.

Se você fala sobre fotografia, é interessante fazer parceria com outra pessoa que trabalhe ou escreva sobre festas de casamento, pois são temas complementares.

Caso seu perfil social conseguir gerar valor para outras pessoas, aos poucos atrairá novos seguidores e, consequentemente, relevância para o seu canal. Dessa forma, você poderá rentabilizar com base em seus acessos e/ou receber comissões de empresas para anunciar produtos.

5. Venda cursos online

A educação à distância está em alta. Somente em 2015 esse mercado faturou 107 bilhões de dólares e vem ganhando espaço principalmente em tempos de crise.

O modelo é benéfico tanto para alunos, que buscam preços mais baixos para adquirir conhecimento, quanto para professores, que podem produzir conteúdo e distribuir em longa escala.

Mas não se engane, não é apenas os professores por formação são capazes de produzir cursos online — também são conhecidos como produtos digitais.

Na verdade, qualquer pessoa que tenha um conteúdo valioso para transmitir à uma audiência é capaz de criar produzir algum material valioso.

Por exemplo, se você é bom com planilhas, pode fazer um curso completo de Excel, ou ainda, se sabe fazer doces como ninguém, pode vender um curso online sobre doces para festas de casamento.

Percebeu como existem diversos tipos de produtos digitais para se criar?

Os ebooks e as videoaulas são os formatos mais vendidos atualmente e o custo de produção desses materiais é extremamente baixo.

Se ainda assim você não se sentir confiante para escrever um ebook ou gravar vídeos para vender, outra opção interessante é convidar algum especialista para ser a imagem do seu curso, enquanto você atua em outra área, como por exemplo, a divulgação.

Depois que você estudou tudo sobre como criar e vender cursos online, deverá procurar uma plataforma EAD para hospedar seu produto e então, investir na divulgação dele. Para te ajudar nesse passo, leia o próximo item de nossa lista.

6. Participe de um programa de afiliados

Um programa de afiliados é o sistema que conecta produtores digitais (os criadores de cursos online) à pessoas que desejam divulgar esses produtos em troca de comissão, chamados de afiliados.

Os afiliados podem divulgar os cursos online de terceiros e receber comissões de até 80% sobre o valor do produto.

A vantagem é que esse profissional não precisa atuar na produção do conteúdo, pagamento ou entrega de material. Ele somente é responsável por realizar vendas.

Para começar a atuar nesse mercado, basta se cadastrar em um programa de afiliados e eleger os produtos que deseja divulgar. Os produtores digitais, por sua parte, deverão abrir seus produtos para afiliação para que outras pessoas consigam promovê-lo.

A divulgação pode ser feita através de redes sociais (Facebook, Instagram, YouTube, etc), blogs, anúncios pagos, email marketing ou qualquer outra estratégia relevante de Marketing Digital.

Próximos passos!

Se você vai começar um negócio próprio, analise quais gastos você pode cortar de seu orçamento. Prefira trabalhar em casa a alugar um escritório, assim você evita gastos para manter o local e ainda economiza com locomoção. Lembre-se que cada economia pode ser mais capital para seu negócio.

Depois de definir o tipo de negócio que é a sua cara, a divulgação é a chave para alcançar muitos clientes. Aproveite a internet para promover seu negócio e não dispense o marketing boca a boca.

Qualquer uma dessas alternativas requerem disciplina e comprometimento. Principalmente se você tiver metas ousadas para adquirir independência financeira.

A dica de ouro para qualquer novo empreendedor que vai começar um negócio, seja de baixo ou alto investimento, é sempre economizar e controlar seus gastos. Nesse caso, você pode recorrer à planilhas e aplicativos de controle financeiro.

Se você vai começar a empreender deseja entender mais sobre o mercado do empreendedorismo, acesse o post completo da Hotmart com o glossário do empreendedor digital.

Conteúdo produzido por Thais Bittencourt, da Hotmart.