10 ideias para abrir uma empresa com até 10 mil reais

Confira alguns negócios que podem ser criados com baixo investimento inicial, priorizando apenas o essencial

Via : Revista Exame

Publicado: quinta-feira, 6 setembro, 2018 às 14:12
Ideias para abrir uma empresa com pouco dinheiro
O valor não é o item mais importante, e sim sua aptidão para certos tipos de empreendimento e suas percepções de mercado

São Paulo – A crise econômica acendeu em muitos o desejo de criar o seu próprio emprego por meio do empreendedorismo – e a boa notícia é que não é preciso investir rios de dinheiro para começar.

É o que dizem especialistas consultados por EXAME. Alfredo Soares, criador da plataforma de lojas virtuais para PMEs Xtech Commerce; Amure Pinho, presidente da Associação Brasileira de Startups; e Sergio Dias, economista e consultor do Sebrae, elencaram alguns tipos de empreendimentos que podem ser começados com até 10 mil reais.

“O valor não é o item mais importante, e sim sua aptidão para certos tipos de empreendimento e suas percepções de mercado”, afirma Dias. Pinho e Soares destacam que, com poucos valores, seus investimentos devem se concentrar na construção de pontes com os consumidores – na estratégia de marketing mais adequada ao seu público, dos canais digitais aos panfletos.

1 — Alimentação, de doces a marmitas

A alimentação é a aposta de boa parte das pessoas que procuram ideias simples de negócios: é possível preparar desde refeições prontas e saudáveis, como marmitas para pessoas ocupadas, até doces e salgados para festas.

Dias, do Sebrae, ressalta que o empreendedor de alimentação com até 10 mil reais no bolso tem a opção de cozinhar da própria residência ou, mais recentemente, de espaços que não demandam o mesmo investimento de um restaurante.

É o caso de chefs que cozinham na casa de seus clientes ou que dividem o espaço com outros estabelecimentos (quem faz pratos executivos pode dividir os custos de um imóvel com alguém que quer abrir um bar exclusivamente noturno, por exemplo).

Pinho, da ABStartups, ressalta que é possível anunciar e vender através de apps como Instagram e WhatsApp, canais gratuitos de comunicação e divulgação. Com isso, seu dinheiro pode ser investido na criação da marca, na divulgação em locais de interesse e no primeiro estoque de ingredientes.

2 — Bem-estar ao ar livre ou na casa do cliente

Serviços que promovem o bem-estar e a saúde estão em alta. Seus recursos de até 10 mil reais podem ser usados na aprendizagem de serviços como massagem ou em práticas como ioga e pilates. Um trunfo, diz Dias, é que tais atividades podem ser feitas na casa do cliente ou em espaços públicos, como parques, anulando custos fixos, como aluguéis e contas de água e energia de um espaço próprio.

3 — Consultorias e cursos online

Trabalhou anos com algum mercado ou está aprendendo? Um possível negócio é dar e revender consultorias e cursos por meio da internet, diz Soares. Algumas temas quentes são comércio eletrônico e marketing digital, por exemplo. Mas mesmo quem é menos antenado pode aproveitar o digital para dar aulas de temas mais tradicionais, como idiomas e instrumentos musicais, sem nenhum gasto com infraestrutura e deslocamento.

4 — Design para quem não sabe

Você conhece bem softwares do pacote Adobe ou está a fim de investir nisso? Os serviços de comunicação visual e design são muito demandados por quem não faz ideia de como montar apresentações incríveis e precisa delas, afirma Dias, do Sebrae.

Potenciais clientes, por exemplo, são os profissionais de saúde, que participam de diversos congressos e precisam demonstrar suas especialidades. É possível montar a própria agência ou disponibilizar seus serviços em marketplaces.

5 — E-commerces de nicho

Soares vê uma tendência no mundo das lojas virtuais: o e-commerce de um (ou pouquíssimos) produtos. Se você quer montar um comércio online com pouco investimento, foque em um item inovador e em um público de nicho. É o caso de lojas de acessórios para produtos Apple ou jogos de panelas extremamente aderetentes, por exemplo.

Quem quiser reduzir ainda mais seus custos pode fazer um acordo de consignação com fornecedores, recomenda o especialista. Com isso, você se torna um revendedor, pagando apenas pelo estoque que realmente for desovado.

6 — Maquiagem para fazer e vender

Complementar ao segmento de bem-estar e saúde, os negócios de beleza são tradicionais no Brasil. Quem quer empreender no ramo pode ir tanto para o segmento de comércio, produzindo ou revendendo produtos, quanto prestando serviços como barbearia, depilação e maquiagem.

Em ambos os casos, é possível trabalhar montando um pequeno comércio ou estabelecimento; indo até a casa do cliente; ou fazendo um acordo com salões de beleza e outros estabelecimentos complementares, sublocando uma pequena metragem. O comércio também permite montar uma loja virtual.

7 — Moda e acessórios

Outra opção é produzir ou revender roupas e acessórios. Assim como nos ramos de alimentação e maquiagem, as possibilidades são muitas: dá para vender pela internet, na garagem de casa ou sublocando uma espacinho de trabalho em outros estabelecimentos, tal como os empreendimentos de beleza.

Pinho, da ABStartups, destaca que existem negócios que unem a produção de conteúdo e de consultorias com a venda de roupas da moda. A chave é oferecer conveniência, como estar nas redes sociais ou levar as roupas até a casa do cliente.

Outra tendência recente nesse setor são os aluguéis e brechós, diz Dias, do Sebrae. Se você possui peças em bom estado, pode aproveitar para alugá-las (no caso de itens mais chiques) ou vendê-las. Essa é uma boa forma de reduzir custos de estoque inicial.

8 — Produtos personalizados

Você já deve ter visto por aí máquinas que permitem customizar produtos, de camisetas e canecas até chinelos e materiais empresariais. Esses equipamentos custam algumas centenas de reais e podem ser um bom ponto de partida para um negócio econômico.

Pinho, da ABStartups, conta a história de um empreendedor que alugou um metro quadrado de uma fábrica e começou a produzir adesivos nas horas ociosas do maquinário. O negócio deu tão certo que ele comprou a própria máquina e abriu uma empresa, chamada Nerd Stickers.

9 — Serviços aos pets

Não é de hoje que o segmento pet está em alta, com o amor por cães e gatos convivendo com a falta de tempo. Mas, mais recentemente, plataformas como DogHero e Pet Anjo fizeram com que qualquer um possa ter um canal para anunciar seus serviços para bichinhos de estimação em troca de uma comissão. É possível anunciar atividades como passear, ir até a casa do dono do animal ou hospedar o pet em sua própria residência.

10 — Turismo com brasileiros e gringos

Por fim, outra prestação de serviço interessante está no mercado de turismo. Já existem franquias de agências online de turismo, nas quais você pode atender clientes de sua própria residência e comercializar pacotes turísticos. Outra alternativa, diz Dias, é fazer o caminho inverso: receber turistas no Brasil e prestar o serviço de guia, levando-os a pontos turísticos de seu estado.