10 dicas de como dividir a renda mensal entre lazer e investimento

Primeiramente, é preciso definir qual é o seu objetivo principal, e, a partir daí, estipular metas e premissas para alcançar este objetivo

Via : Site Administradores

Publicado: quarta-feira, 19 setembro, 2018 às 12:22
Dividir a renda mensal entre lazer e investimento
Primeiramente, é preciso definir qual é o seu objetivo principal, e, a partir daí, estipular metas e premissas para alcançar este objetivo.

São poucas as pessoas que têm a facilidade na hora de dividir a renda entre lazer e investimento, quando se trata de orçamento financeiro. De fato, não é uma tarefa simples.

É claro que não queremos gastar todas as nossas finanças sem criar uma economia para futuro, filhos, viagens e projetos, mas também não queremos poupar todos os nossos recursos e não usufruir dos prazeres da vida.

Primeiramente, é preciso definir qual é o seu objetivo principal, e, a partir daí, estipular metas e premissas para alcançar este objetivo.

Sendo assim, compartilho algumas dicas importantes para ajudar você a obter um equilíbrio orçamentário:

1- “Desconsidere” uma parte do seu ganho fixo

Por exemplo, se sua receita mensal é de 10 mil reais, faça um orçamento baseado em 7 mil reais. Desta forma, você terá um fôlego financeiro, seja para guardar dinheiro ou para eventuais imprevistos;

2- Crie uma planilha para controle de gastos fixos mensais

Isso lhe ajudará a organizar seu orçamento, evitando estourar o limite projetado;

3- Estipule um percentual

Estipule um percentual do seu salário para o lazer e outro para investimento, com base na primeira dica, de não incluir no orçamento todo o seu ganho mensal;

4- Estabeleça uma rotina

Estabeleça uma rotina semanal para acompanhar sua planilha orçamentária e seu fluxo de caixa (uma prática para controlar a movimentação financeira – as entradas e saídas de dinheiro);

5- Planeje-se

Quando for viajar, faça um planejamento com antecedência. Calcule o quanto irá precisar para a viagem e reserve o dinheiro. Escolha a forma de pagamento que menos prejudique seu orçamento mensal;

6- Estabeleça metas mensais

Se você usa o cartão de crédito de forma consciente, estabeleça uma meta mensal de gasto. Caso esteja perto de ultrapassar a meta, já corte tudo que for supérfluo e desnecessário, para que sua fatura não comprometa seu orçamento;

7- Não deixe de curtir a vida

E de celebrar os momentos importantes. Mas quando exagerar financeiramente em uma semana, procure compensar na semana seguinte, deixando para gastar somente o que for essencial;

8- Fique atento às ofertas

Ao fazer compras de mercado, fique sempre atento às ofertas. E quando precisar de um item de maior valor, seja um eletrodoméstico, eletroeletrônico ou um móvel para casa, não compre na primeira loja que entrar. Faça uma comparação de preços em, pelo menos, três lojas. Muitas vezes, você encontra o mesmo produto em outra loja por um valor bem mais em conta;

9- Atenção ao investir

Quando for investir o seu dinheiro, verifique antes quanto tempo você pode ficar sem ele, ou seja, quanto tempo você pode deixar o recurso aplicado sem necessidade de resgate para salvar o seu orçamento. Geralmente, quanto mais tempo você deixar o dinheiro aplicado, maior será a taxa de remuneração que o banco ou a corretora de valores pagará para o investidor;

10 – Seja realista

Estabeleça metas atingíveis para que você não se desmotive e acabe perdendo o controle das suas finanças e de seus objetivos. As metas devem ser realistas e alinhadas com o seu perfil e padrão de vida. Lembrando que, para que tudo isso se concretize, é preciso disciplina e pé no chão!

Sérgio TavaresDiretor da STavares Consultoria Financeira, com MBA de Gestão Econômica e Financeira de Empresas pela FGV (RJ)